top of page
  • esportesdp.com.br

Veja como está o embate jurídico Náutico x Retrô


Embate formado. Na tarde da terça-feira (30), o Náutico protocolou no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJD-PE), uma notícia de infração disciplinar contra o Retrô. O motivo seria as escalações, dada como irregulares, do meia Radsley e do atacante Luisinho no Campeonato Pernambucano. Caso seja punido, a Fênix de Camaragibe pode perder pontos no estadual.


Segundo o documento do Alvirrubro, Radsley e Luizinho teriam atuado ainda estando com uma suspensão a cumprir. Os atletas haviam sido expulso na final do Campeonato Pernambucano do ano passado contra o Sport. Em contato da reportagem do DP Esportes com o jurídico do Náutico, Fernando Lamar, explicou que o clube se baseia no código disciplinar da Fifa, que segundo o advogado, se sobrepõe ao regulamento da CBF e FPF.

“O Náutico ingressou com uma denúncia no TJD com relação à escalação irregular de dois atletas do Retrô, por não cumprimento da suspensão automática, imediatamente após ao jogo que foram expulsos. O Náutico entende que a suspensão automática, ela não pode ser afastada. Suspensão automática é inafastável, uma vez que o estatuto da Fifa no artigo 66 institui essa suspensão automática”, disse o advogado.

“Se o campeonato acabou, ela tem que ser cumprida, como diz o artigo inclusive 171º do CBJD, que diz se o campeonato acabou com alguma punição pendente de cumprimento, ela tem que ser cumprida no próximo campeonato organizado pela mesma mesma instituição, pela mesma entidade no caso a federação”, acrescentou.

Versão da Fênix


Por outro lado, o Retrô considera infundada a denúncia do Náutico, acredita que o pedido Alvirrubro não prospera no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJD-PE). Como argumento o jurídico azulino, considera que os atletas foram julgados e advertidos pelo TJD-PE, mas que não houveram pendências de suspensão a serem cumpridas neste Campeonato Estadual. Diante disso, a Fênix de Camaragibe se escora nos regulamentos da FPF e CBF.

Em contato com a reportagem do DP Esportes, o presidente do Retrô, Laércio Guerra, criticou a provável atitude da cúpula alvirrubra. “Isso é medo do jogo contra o Retrô. Chega a ser ridículo e patético. Estamos tranquilos, porque temos o regulamento da competição em mãos. Um atleta expulso em uma final fica isento de cumprir suspensão automática no ano seguinte”, iniciou.

“Acho que é medo do Náutico de perder a vaga para a semifinal, até porque os maiores beneficiados com a perda de pontos (Central e Santa Cruz) não falaram nada a respeito”, completou.

PRÓXIMOS PASSOS


A denúncia do Náutico foi protocolada para a presidente do TJD-PE, Clécia Rego Barros, que deve ainda nesta tarde da quarta-feira (31), encaminhar para um procurador de primeira instância para analisar o caso. Segundo o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), o clube pode ser punido com três pontos pela escalação irregular, além de perder os pontos dos jogos denunciados, a multa vai de R$ 100 a R$ 100 mil.

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Infográfico preto moderno e tecnológico para relatório de marketing digital_edited.jpg
bottom of page