top of page
  • Foto do escritorge.com

Federações do Nordeste fecham acordo contra manipulação de resultados

As nove federações de futebol do Nordeste fecharam parceria para a implementação de um sistema de prevenção contra a manipulação de resultados. O acordo com a Sportradar, empresa especializada em soluções tecnológicas para integridade esportiva, prevê a criação de uma plataforma online educacional para os clubes.


Essa plataforma já foi disponibilizada para as federações, que poderão encaminhá-la para os clubes. Nela, jogadores e comissões técnicas do futebol de base e profissional desses estados terão acesso a vídeos e treinamentos sobre:

O que é manipulação de resultados;

Como funciona o mercado de apostas;

As relações com o crime organizado;

Como atuam manipuladores;

Quais são as regras no Brasil e na Fifa sobre apostas;

As consequências para quem comete irregularidades.


O objetivo é que os times nordestinos que vão disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2024 cheguem à competição já com esse treinamento realizado. O Zumbi, de Alagoas, recebeu propostas de manipulação na última Copinha, segundo a federação de futebol local.


— Fomos alvos recorrentes de grupos que tentaram manipular resultados, da primeira divisão até as competições de base. Não tem muita diferença no Nordeste: quem faz isso em Alagoas depois vai para outro estado. Os problemas são comuns a todos. Os atletas não têm conhecimento algum das consequências disso. Vamos começar por aí, tentando educar, para evitar punições — disse o presidente da federação alagoana de futebol, Felipe Feijó.

As federações poderão monitorar se os clubes estão fazendo o trabalho direito, ao ter acesso ao progresso dos jogadores na plataforma. Isto é: saber quem está assistindo aos conteúdos. O vídeo educacional tem cerca de 25 minutos de duração.


Os jogadores precisam responder no final do treino a um questionário e depois recebem um certificado. A participação em manipulação de resultados gera consequências negativas além da punição esportiva. O atleta fica com ficha criminal e pode sofrer ameaças e chantagens.


— Se um jogador de alto nível, de Série A, foi convencido a isso (manipular), imagina descendo o nível, para atletas da Copinha, que não recebem salário e têm poucas chances de virarem profissionais? Quanto mais descermos na pirâmide, mais eles são suscetíveis. Quem aceita está quebrando um princípio fundamental do jogo — comentou Feijó.


O Brasil terminou o ano passado como o país com o maior número de jogos suspeitos de manipulação de resultados em todo o mundo, segundo relatório anual de integridade da Sportradar, que também é parceira da CBF, da Uefa e da Fifa.

Bình luận

Đã xếp hạng 0/5 sao.
Chưa có xếp hạng

Thêm điểm xếp hạng
Infográfico preto moderno e tecnológico para relatório de marketing digital_edited.jpg
bottom of page