top of page
  • Foto do escritorNE45

CRB vence Fortaleza no tempo normal, mas o Leão leva o tri nos pênaltis

CRB levou a melhor no tempo normal e repetiu o placar da ida, mas nos pênaltis deu Fortaleza


MACEIÓ (AL) – A final da Copa do Nordeste foi um prato cheio para quem gosta de emoção. Em um Rei Pelé pulsante, o CRB venceu o Fortaleza por 2 x 0 e devolveu o placar da ida, forçando penalidades. Contudo, nos pênaltis, o Leão do Pici afastou o fantasma de decidir na marca da cal e levou a melhor: 5 x 4. Um título para consolidar ainda mais um projeto que só cresce. E pintar o Nordeste de vermelho, branco e azul pela terceira vez na história.


A atuação ruim na final no Rei Pelé não foi suficiente para impedir que o torcedor do Fortaleza celebrasse a Copa do Nordeste pela terceira vez. Aliás, desde 2019, ano do primeiro título do time na competição, ninguém ganhou mais o Nordestão que o Tricolor do Pici. O que só mostra o crescimento do clube. Que não quer parar por aí.


Ao CRB, as palmas ao fim do jogo representam o que foi a campanha do Galo. A torcida reconheceu a luta, mas não foi possível pintar o Nordeste de vermelho e branco pela primeira vez.


A final do Nordestão entre CRB e Fortaleza

O primeiro tempo foi equilibrado. O CRB começou pressionando e buscando gerar volume ofensivo, enquanto o Fortaleza tratou de segurar o ímpeto do rival. Os times precisaram mudar por lesões: Gustavo Henrique entrou na vaga de Saimon no Galo; já Machuca substituiu Moisés no Tricolor.


Alterações feitas, a partida seguiu equilibrada. A primeira grande chance veio aos 21, com Anselmo Ramon, mas ele bateu de primeira e por cima do gol. O Fortaleza respondeu pouco depois em cobrança de falta de Yago Pikachu, porém Matheus Albino defendeu – no rebote, o arqueiro do Galo também interviu no chute de Lucero.


A melhor chance do primeiro tempo, porém, veio do CRB. Léo Pereira fez boa jogada pela esquerda e cruzou para o meio da área. A bola encontrou o zagueiro Fábio Alemão, que bateu de primeira e parou na defesa do goleiro João Ricardo. Ao fim do primeiro tempo, 0 x 0 no placar e gritos de “eu acredito” ecoando das arquibancadas do Rei Pelé.


O segundo tempo começou equilibrado. O CRB tentava acelerar a partida, mas o Fortaleza conseguia neutralizar e buscava o contra-ataque. No entanto, com o passar do tempo, o jogo foi ficando mais para o Galo. O técnico Daniel Paulista promoveu alterações que deixaram o time com maior ímpeto em campo. E isso deu resultado.



O CRB começou a pressionar e conseguiu abrir o placar aos 20 do primeiro tempo. Gegê cobrou escanteio e, após um bate-rebate, a bola sobrou para João Neto, que havia entrado antes e não desperdiçou: mandou para o fundo das redes e deixou o Galo em vantagem na partida.


O CRB continuou pressionando e buscando o gol, enquanto o Fortaleza tentava neutralizar o espaço do rival. E, de tanto insistir, novamente o Galo da Pajuçara foi recompensado. Aos 41 minutos, após chute de Matheus Ribeiro, a bola desvia e sobre nos pés de João Neto, que não desperdiça e faz o segundo do Galo.



Com o 2 x 0 no placar, o CRB foi quem atacou mais na reta final. O Fortaleza, porém, tentou dar uma resposta, mas isso não aconteceu. O Leão ainda viu Matheus Rosseto ser expulso. Assim, com o marcador igual ao da ida, a final foi para os pênaltis.


Os pênaltis

Nos pênaltis, o Fortaleza conseguiu espantar o fantasma das penalidades e venceu por 5 x 4. Todos que bateram os pênaltis converteram, menos o centroavante Anselmo Ramon, que abriu a disputa e mandou por cima do gol.


FICHA DO JOGO

CRB 2 (4)

Matheus Albino; Hereda, Fábio Alemão, Saimon (Gustavo Henrique) e Matheus Ribeiro; Falcão (João Neto), João Pedro e Gegê; Facundo Labandeira (Mike), Léo Pereira e Anselmo Ramon. Técnico: Daniel Paulista.


FORTALEZA 0 (5)

João Ricardo; Emanuel Brítez, Kusdevic, Cardona e Bruno Pacheco (Tinga); Pedro Augusto (Matheus Rosseto), Hércules e Pochettino (Pedro Rocha); Yago Pikachu, Moisés (Machuca (Zé Welison) e Lucero. Técnico: Juan Pablo Vojvoda.


Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)

Árbitro: Emerson Ricardo de Almeida Andrade (BA)

Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos e Daniella Coutinho Pinto (ambos da BA)

VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)

Público: 17.782

Renda: R$ 1.054.870,00

Gols: João Neto (20’2T e 41’2T) (CRB)

Cartões amarelos: João Pedro, Alemão, Gegê, e Matheus Ribeiro (CRB); Pedro Augusto, Pochettino, João Ricardo (FEC)

Cartão vermelho: Matheus Rosseto (FEC)

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Infográfico preto moderno e tecnológico para relatório de marketing digital_edited.jpg
bottom of page