top of page
  • Foto do escritorNE45

Com recorde de público, Santa bate Central e está na Série D de 2025

O primeiro objetivo foi alcançado. Empurrado por mais de 35 mil torcedores, o Santa Cruz, enfim, pode dizer que terá calendário nacional. Em jogo tenso, os tricolores precisaram esperar até os 35 do segundo tempo para soltar o grito que estava preso desde o ano passado.


Cumprindo a sua missão no Arruda, a Cobra Coral venceu uma partida bastante equilibrada por 1 x 0 para obter a sua vaga na Série D, além de se classificar para encarar o Sport nas semifinais do Estadual.


O gol da partida foi marcado pelo atacante Gilvan. Iluminado, o jogador saiu do banco de reservas e no seu primeiro toque na bola deu o triunfo mais importante da temporada para Cobra Coral.


O jogo – Santa Cruz x Central

A primeira etapa do embate entre Santa Cruz e Central refletiu em campo o nervosismo que se fez presente nas arquibancadas. Com muitos erros de passe e decisões e foram poucas chances de gol dos dois lados no Arruda.


Jogando em casa, a Cobra Coral, empurrada pelos seus torcedores, dominou a posse de bola e tentou agredir nos primeiros minutos.

Contudo, a Patativa respondeu bem postada no meio-campo com o esquema de três volantes montado por Marcinho Guerreiro, controlando bem a partida com a marcação bastante encaixada.


A melhor chance do jogo aconteceu aos 26 minutos com o volante Caio Mello. O camisa 8 coral recebeu lançamento de João Diogo e desviou. A bola passou com perigo à direita do goleiro Chapa.



Após o intervalo, o Santa Cruz retornou com as entradas de João Victor e João Pedro nas vagas de Juan Tavares e Matheus Melo, que sentiu após choque de cabeça ainda na primeira etapa. Com o senso de urgência mais aguçado, a Cobra Coral passou a ocupar o campo de ataque da Patativa, mas sem conseguir finalizar com perigo à meta alvinegra.


Os rumos do jogo mudariam para o Santa Cruz aos 32 minutos, quando o centroavante Gilvan goi acionado na vaga de Pedro Bortoluzo. Autor do gol contra o Central na primeira fase, o camisa 19 foi decisivo novamente. Aos 35, o atacante aproveitou rebote de um arremate de João Diogo e pegou o rebote para finalizar sem chances para Chapa.


Nos minutos finais, o Santa Cruz seguiu em cima do Central, mas sem conseguir criar chances reais de gol. Dessa forma, projetado ao ataque, os corais viram o ataque da Patativa partir no contragolpe. Contudo, o time caruaruense abusou das bolas alçadas na área e pouco produziu para empatar o jogo.


Ficha do jogo

Santa Cruz 1

William Assmann; Toty, Paulo César, Rafael Pereira (Ítalo Melo) e Juan Tavares (João Victor); Lucas Siqueira, Caio Mello (Henrique Lordelo) e Matheus Melo (João Pedro); João Diogo, Thiaguinho e Pedro Bortoluzo (Gilvan). Técnico: Itamar Schülle.


Central 0

Chapa; Edy, Pedro Gustavo, Doni (Yuri Mamute) e Allan Pires; Henrique Silva (Jardel), Wisney, Moacir (Rafael Peixoto) e Murilo Rangel (João Cardoso); Erivelton e Júnior Pirambu. Técnico: Marcinho Guerreiro.


Local: Estádio do Arruda

Árbitra: Déborah Cecília Cruz Correia (FIFA-PE)

Assistentes: Francisco Chaves e Karla Santana

VAR: José Woshington

Gols: Gilvan aos 35/2ºT (Santa Cruz)

Cartões amarelos: Allan Pires, Marcinho Guerreiro e Henrique Silva (Central)

Público: 35.023 torcedores

Renda: R$ 893.620,00

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Infográfico preto moderno e tecnológico para relatório de marketing digital_edited.jpg
bottom of page